4.9.14

Texto: Epidemia de Outono


E a partir daquele dia as folhas de Outono começara a cair. Não exatamente em uma seqüência, e nem de uma vez só. Tudo bem sutil, de forma que entre si realizavam um belo espetáculo até tocarem no chão. As pessoas por sua vez também estavam agindo de forma diferente . Mais intensas, mais abertas, mais.. elas. Não tinham medo de esconder o que sentiam, riam e choravam com gosto mesmo, sem meio termo ou vergonha da opinião de terceiros.

Eu, como boa e fiel adoradora das novas estações e dos novos ciclos estava achando aquilo uma dadiva. Quisera eu poder viver naquele clima e naquela estação o resto do ano, naquele laço que as pessoas e as coisas iam criando uns com os outros sem ao menos perceberem.

Aquilo ao meu ver parecia ser algo meio irreal, tinha certeza que logo iria embora levando toda aquela graça. Mas de qualquer jeito, real ou não, rápido ou demorado, eu estava amando cada detalhes daquela epidemia de felicidade. Mais especificamente , aquela epidemia de Outono. 

15 comentários: