4.12.13

Entrevista: Sua história com a dança.

🎉
Bom dia meninas! Hoje venho com uma novidade, há alguns dias tenho observado histórias lindas que se deram inicio a partir da dança. Desde então fiquei encucada com uma coisa, já perceberam que apenas uma a cada dez pessoas fazem dança? A dança hoje em dia está sendo esquecida, e não, isso não pode acontecer! Hoje trago histórias incríveis e dançarinas brilhantes que aceitaram dividir com a gente um pouco da sua experiência com a dança. O foco aqui é mostrar o quão boa a dança pode ser tanto para seu psicológico quanto para sua vida. Vamos experimentar?

PERGUNTA:Me conte um pouco da sua história com a dança.Em seguida me conte os benefícios que a mesma trouxe a sua vida em geral.E por fim deixe um convite para as pessoas conhecerem o tipo de dança escolhido por você.

Minha história com a dança começou quando pequena, na minha primeira série após o jardim, mamãe me matriculou em um colégio particular onde continha no pacote aulas de jazz, tinha uns seis ou sete anos, a idade não me recordo bem, apenas que era um ano adiantada, sempre fui. Já me chamaram de borboletinha, eu ficava toda, toda (risos) isso tudo só durou um ano, infelizmente, então eu parei, dançava vez ou outra uma música quando criança, É o tchan, ou Xuxa, mas graças a isso criei paixão pela dança. Depois de muito tempo, no meu primeiro ano do ensino médio conheci o kpop que é um estilo de música pop, só que em coreano e cheio de coreografias legais, então resolvi aprendê-las já que a minha mãe pouco se importava em me colocar em alguma aula de dança novamente. Um ano depois uma garota querendo monta um grupo cover me convidou e voltei a dançar e até hoje tenho dançado. Depois que minha mãe viu que realmente sou apaixonada por isso, me apoiou e no fim desse ano ou no começo do ano que vem, começarei a fazer aulas de ballet. Os benefícios que a dança me trouxe foram vários: Um corpo mais bonito, uma saúde melhorada por ser uma atividade física, auto estima e  também pessoas, amigos. Eu sempre fui muito mais de ter amigos virtuais do que pessoas que moravam perto de mim, até na escola. Sou muito quieta com quem não conheço e como não faço esforço para conhecer alguém... Fica difícil. Mas depois que tive interesse de me torna cover, me tornei mais sociável e desinibida, fiz amigas e amigos incríveis, os quais pretendo leva pra vida toda e entre esses amigos um até me apresentou o meu atual primeiro namorado e futuro marido (risos)
A dança é uma arte, uma arte com movimentos, uma arte em que você expressa sentimentos no ar, pra mim não tem arte mais bonita, até mesmo para os estilos de dança mais “chulos”. Não só para o meu estilo quanto para todos, eu recomendo para aqueles que estão lendo essa entrevista, que dancem! Ballet, Jazz, dança do ventre, salão, um cover, qualquer coisa que te movimente! Não tenham vergonha, dois passinhos pra lá e dois pra cá também sabem ser bastante eficientes. Não é só quem canta que os malês espanta, quem dança faz parte desse ditado também.


Nunca fui muito de dançar, muitas vezes arriscava alguns passos improvisados, nada sério. Minha primeira experiência com a dança foi esse ano mesmo. Precisava apresentar um trabalho da escola e era relacionado a dança, nada teórico, na pratica mesmo, não tinha escapatória. Como só havia uma opção então escolhi tango (as opções eram tango e frevo, pra quem nunca dançou, tango foi a melhor opção). Tive pouco tempo de ensaio, e aprendi a coreografia inteira no dia da apresentação, e mesmo que os ensaios tenham dado um pouco de dor de cabeça, no fim deu tudo certo e fui muito elogiada pelos professores e amigos.Mesmo tendo o primeiro contato com a dança a pouco tempo, me senti muito melhor em relação ao meu corpo, auto estima e a timidez. Foi divertido, e mesmo sendo uma dança “complicada” consegui acompanhar o restante do grupo, tanto que logo após a apresentação queria voltar la e dançar de novo. Diferente do que imaginei, não foi nenhum bicho de sete cabeças. Me diverti muito, me senti muito melhor e descobri na dança uma forma de se expressar e se sentir bem com o próprio corpo. Então recomendo e muito o tango e ate mesmo outras danças. Pode parecer difícil no começo, mas conforme você segue o ritmo, a dança se torna muito interessante. Sei que não irão se arrepender

Bem, sou uma pessoa bem eclética, e gosto de todos os tipos de música e tudo mais, sou do tipo que acha que tudo é cultura!Comecei a dançar muito pequena, com três anos já sabia todas as coreografias da Xuxa (sei até hoje)!!Bem, eu hoje danço todos os tipos de música, todos mesmo, acho que qualquer um pode aprender um pouco de tudo com vídeo aulas do youtube! Mas quando digo tudo, falo de funk até dança indiana, porque como eu disse, preconceito não é comigo, e sei que tudo é cultura! Porém, sem dúvida, o que eu mais gosto de dançar é Rockabilly!! Um pegada Elvis e giros e rodopios!! Adoro a energia, mas hoje em dia poucos caras gostam de dançar assim!!

Minha história com a dança começou quando eu completei 2 anos de idade, ainda quando eu aprendia a fazer aqueles passos mais básicos, tipo, posição de bailaria, dedão pra dentro.. Com o passar do tempo, fui adquirindo experiência e comecei a participar de concursos em vários locais do Brasil e também no exterior.Para mim, a dança exerceu um papel muito importante. As minhas colegas eram as bailarinas mais motivadas, esforçadas e capazes de realizar aquilo que sonhavam.Minha professora tem a melhor auto estima que conheço, sempre buscando o melhor para suas bailarinas.A partir de grandes experiências, pude me especializar em várias áreas da dança, entre elas: moderna, clássica, jazz e hip hop. Passei por muitas experiências desagradáveis também, já passei frio, já passei fome, já passei noites sem dormir, tudo pra conseguir dançar fora de casa.A dança me proporciona bem estar, distração, diversão, momentos inesquecíveis, amigas, motivação e principalmente admiração, pela pessoa que me coordena, uma professora muito bem sucedida.Também me trouxe um conhecimento da minha personalidade e do meu corpo.Atualmente, faz 1 ano que não danço, por motivos pessoais, porem, quando eu puder, voltarei a exerce-la.Gostaria de dizer a vocês, leitoras do blog, procurem pela dança para proporcionarem um bem estar, para se conhecerem, por fora e por dentro. (E sim meninas, sapatilha de ponta dói! Mas vale o sacrificio)

Então, sempre amei dança e não lembro de nenhum momento da minha vida no qual, mesmo que involuntariamente, eu não estivesse ligada à ela. Eu era daquelas crianças que ia pras festinhas e preferia ficar longe dos brinquedos e dançando do que dentro de uma cama elástica ou piscina de bolinhas brincando com os amiguinhos. Acreditem. E como sempre fui apaixonada por dança, com cinco anos minha mãe resolveu me colocar no ballet, mas não deu certo, apesar de ser encantada por aquilo, não era o que eu queria, eu precisava de um ritmo mais animado, em seguida minha mãe me matriculou no jazz, fiquei por lá por quase 6 anos, no final também não era o que eu queria, descobri o zouk e tinha a certeza de que era aquela dança que me "prenderia" para sempre, levei meu pai para assistir uma aula experimental e nada feito, para ele a dança era extremamente sensual para minha idade (na época eu tinha dez anos - não faz tanto tempo assim), decidi (tentar) abandonar a dança e me envolvi no handebol, durante três anos vivi para o esporte, mas estava presente em todas as apresentações de danças possíveis, tive que abandonar o handebol e senti que algo faltava em mim, sim, era a dança, me achei gente grande o suficiente para pedir, pela milésima vez, pro meu pai me colocar no zouk, lembro que a resposta foi "menina, chega! Última chance, vamos ali naquela academia de dança", fui com ele e no dia de assistir a aula-que-poderia-mudar-a-minha-vida o professor falta. Calma! Aí vem a melhor parte: resolvi ficar sentada no banquinho da academia pensando em assistir a próxima aula, que era a de RaggaJam (dança que faço atualmente), conheci a Carolina Mercado (à ela minha eterna gratidão <3) que era professora na academia e que insistiu horrores pra eu fazer a aula e conseguiu me convencer. Pronto. Foi amor a primeira vista. Hoje tenho a certeza de que é essa dança que quero pra mim, com ela me sinto realizada em todos os sentidos. Fora que a mesma me trouxe amigos maravilhosos, pessoas com quem me sinto honrada de crescer ao lado, tem também a questão da minha saúde que melhorou muito com a realização da dança que é muito agitada, enfim, parte do que sou hoje consegui através dessa arte que, pra mim, é mais do que um complemento, é uma paixão, uma eterna paixão.

RECOMENDAÇÃO: (VÍDEOS/PROFESSORES/CANAIS/RECADOS) - Opcional
 Em breve estarei abrindo um canal no youtube um pouco diferente dos covers que já se tem por aí e quando for divulgado espero realmente que gostem, nele estarei “atendendo” duas comunidades. E ah, só pra vocês conhecerem um pouquinho do que faço, eu não tenho vídeos bons para mostrar para vocês, mas é desse cara com a sua namorada e alunos que eu aprendo TUDO:  Link 1 - Link 2

 
Gosto desse vídeo porque a coreografia é fácil. LINK 1

Vou indicar vídeos de pessoas que servem de inspiração pra mim, pessoas que me incentivam a cada dia e que fazem parte do meu crescimento diário mesmo estando, "de vez em quando", distantes de mim: Video 1 - Video 2 - Video 3 - Link 1 - Link 2 - Link 3 - Link 4 - Blog da Thaís
Gostaria em nome do Menina Desastrada e de todas as leitoras agradecer cada uma por dividir sua história e compartilhar algumas coisas com a gente. Estejam sempre a vontade para vir ao MD compartilhar alguma coisa que vocês achem bacana, lembrando que esse blog é nosso! E leitoras, espero que tenham aprendido um pouco sobre cada dança e se inspirem nessas história incríveis. Obrigada pessoal!

31 comentários:

  1. Olha e-ê quanta história e eu aqui só saindo de casa para a escola

    ResponderExcluir
  2. Lindaaaaaaaaas, sucesso pra elas :)

    ResponderExcluir
  3. Anônimo11:56:00 AM

    faz mais post desse estillo

    ResponderExcluir
  4. Adorei o post, as respostas delas são muito boas.
    Sempre gostei de dança, agora gosto um pouco mais.
    bjs
    anjodecereja.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Aniinha1:11:00 PM

    Elas são muito fofas, to vendo os vídeos da Thayx e da Bruna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha gostado dos vídeos, Aninha!

      Besos. =)

      Excluir
    2. Isso, veja todos e conta pra gente o que achou

      Excluir
  6. Ana Cássia2:47:00 PM

    muito bem feito, parabéns

    ResponderExcluir
  7. Adorei! Obrigada pelo convite, Camilinha, adorei participar! Muito bom conhecer a história de outras meninas com a dança. E que a paixão pela mesma aumente cada dia mais!!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por ter aceitado Tata! Amém rs

      Excluir
  8. Dayane Coelho4:52:00 PM

    muuuuuuuuuito fofas

    ResponderExcluir
  9. Cada dança carrega consigo uma história, e foi muito legal você mostrar a história de cada uma delas.
    As outras eu não sei, mas dancei ballet e raggamuffim (Na época era chamado assim, não me batam) durante alguns meses. Parei porque meu corpo não adaptou, meu pé doia horrores no Ballet e meu abdômen e coxas faltavam trincar no Ragga. É bem complicado...
    Parabéns para as meninas que conseguem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me diga Rê, meu corpo também não se adaptou com nenhuma das duas. Lembro da própria Thaís me ensinando alguns passos e eu não sentindo minha coxa no dia seguinte. É coisa braba!

      Excluir
  10. Andressa6:31:00 PM

    Não conhecia nem a ragga nem o k-pop, bem interessante

    ResponderExcluir
  11. Anônimo8:35:00 PM

    Outro benefício que a dança me trouxe foi poder participar dessa publicação nesse blog incrível com essa blogueira fantástica! Obrigada Camila, pelo convite, pela consideração e pela oportunidade!
    Abraços, Bruna. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua fofa! Muito muito obrigada por participar

      Excluir
  12. devia ter video delas dançando :/ queria tanto ver

    ResponderExcluir
  13. Anônimo10:41:00 AM

    foffaas ^^

    ResponderExcluir